De acordo com a CNA a pandemia de COVID-19, “as subidas brutais dos preços dos fatores de produção (ex.: combustíveis, eletricidade, fertilizantes, rações…), a situação de seca, a instabilidade dos mercados internacionais, a inexistência de concretização do Estatuto da Agricultura Familiar, os prejuízos causados por animais selvagens e fenómenos extremos e a aplicação da nova Política Agrícola Comum são algumas das questões que colocam grandes preocupações às agricultoras e aos agricultores.”

Ainda segundo a CNA “para defender a produção nacional e os rendimentos dos agricultores vamos discutir e apontar caminhos para melhores políticas para a agricultura, em particular para a Agricultura Familiar, pela Soberania Alimentar do País e por um Mundo Rural Vivo”.

Comente esta notícia

Este site usa cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização.